FALE COM A GENTE! 0800 707 0550

(54) 9 8135.6331 | (54) 3330.9600

landrin@landrin.com.br

PRAGAS

CUPINS

Os cupins são insetos sociais organizados. Assim como as formigas, todos possuem funções definidas. Os operários fazem a limpeza e quase todo o trabalho do cupinzeiro. Os soldados são responsáveis pela defesa. Os reprodutores, rei e rainha, podem viver alguns anos e apresentam grande fecundidade. O seu alimento básico é a matéria celulósica.

A revoada é a principal maneira para a formação de novas colônias. Ocorre no período situado entre agosto e dezembro. Onde no solo, um rei e uma rainha juntam-se, formando novo ninho. A rainha é maior do que os demais indivíduos do cupinzeiro, é capaz de produzir milhares de ovos e pode ser substituída por uma jovem reprodutiva.


PRINCIPAIS ESPÉCIES

O cupim-de-monte (Cornitermes cumulans) é a espécie mais conhecida em lavouras e em pastagens no Brasil. Constroem seus montes arredondados e de material muito resistente.

Os cupins subterrâneos, (Heterotermes sp. e Procornitermes striatus) constroem galerias no solo. Movimentam-se a longas distâncias e profundidades variáveis no perfil do solo, de acordo com as condições favoráveis de teores de água, de temperatura e de alimento.

Os cupins de madeira seca também se alimentam de madeira ou material celulósico, possuem colônias menores, com ninhos instalados na própria madeira de que irão se alimentar. Os móveis de material compensado ou de madeiras de baixa resistência são os mais atacados.


PRINCIPAIS DANOS

Ataca lavouras causando muitos transtornos, como problemas de quebra de máquinas, dificuldades para plantar e colher, e danos às plantações, como na cana-de-açucar, onde os prejuízos podem ser de grandes proporções. Atacam ainda as sementes e as raízes das plantas e em até alguns casos as próprias folhas.

Os cupins subterrâneos causam grandes prejuízos em árvores e edificações. Com grande capacidade de deslocamento podem instalar seus ninhos em qualquer ponto, tornando o combate mais difícil.

O ataque de cupins, em edificações, se dá das mais diversas formas. Tem uma grande preferência por madeira que estejam em contato com a alvenaria, como: guarnições, rodapés, forros, armários embutidos, e etc., porém atacam outros materiais celulósicos, como papel, papelão, livros e até alguns tipos de tecidos.

Mesmo não se alimentando de concreto, nem de plástico, os cupins subterrâneos desgastam esses materiais para ter acesso à madeira e derivados.


Fonte: Cooperativa dos Agricultores de Plantio Direto - www.cooplantio.com.br www.ambientebrasil.com.br

 

 

Veja Também