FALE COM A GENTE! 0800 707 0550

(54) 9 8135.6331 | (54) 3330.9600

landrin@landrin.com.br

PRAGAS

LESMAS E CARACÓIS

As lesmas são moluscos que apresentam redução ou ausência total de concha calcária. Esses organismos são dotados de pé, manto e cabeça e, nesta, tem dois pares de tentáculos, sendo um mais longo dotado de olhos nas extremidades e, no outro, estão os órgãos do olfato. A boca está situada na parte ântero-inferior do corpo, e dentro há uma lingueta denominada rádula, que é denticulada como uma raspadeira, usada para triturar os alimentos (Thomé, 1993). As lesmas normalmente possuem hábito alimentar polífago, são hermafroditas, ovíparas e produzem muco sobre o qual se deslocam, deixando um rastro brilhante por onde passam. São mais ativas à noite e nas horas amenas do dia, protegendo-se do sol em locais úmidos ou se enterrando no solo. Esses moluscos podem hibernar e entrar em quiescência, nos períodos de baixas temperaturas e de estiagem prolongada, respectivamente (Milanez & Chiaradia, 1999a).

Diversas espécies de lesmas causam danos em lavouras de feijão, incluindo a Sarasinula linguaeformis (Semper) (Pulmonata, Veronicellidae), que se alimenta de plântulas, brotos, folhas e das vagens novas de feijão, inviabilizando o cultivo dessa leguminosa em áreas infestadas (Moro & Hemp, 1995). Essa lesma, que na fase adulta mede de 100 a 120mm de comprimento, atinge a fase reprodutiva com cerca de seis meses de idade. Nos períodos de temperatura elevada realiza posturas a cada 20 dias, cada uma com cerca de 50 ovos, que incubam em aproximadamente duas semanas e apresentam mais de 98% de viabilidade (Theodoro et al., 2004). A longevidade dos espécimes adultos pode ser superior a três anos.

O controle de lesmas pela aplicação de práticas isoladas geralmente é ineficaz, sendo necessário empregar métodos integrados para manter as populações dessas pragas em níveis que não causem dano econômico. Algumas práticas são recomendadas no manejo desses moluscos, indicadas principalmente para combater os focos iniciais de infestação, evitando que se dispersem por toda a área de cultivo, que inclui a rotação de culturas, eliminação de restos culturais, redução da irrigação e a adoção do preparo do solo pelo sistema convencional, pelo menos por algumas safras, pois, nas lavouras conduzidas pelo sistema de semeadura direta sobre a palha, as lesmas normalmente encontram alimento, abrigo e umidade adequada para sobreviver e se proliferar (Chiaradia et al., 2004).


Informações importantes sobre as lesmas e o seu ciclo de vida.

- Lesmas adultas – têm 2 a 10 cm de comprimento, dependendo da espécie.
- Podem ser castanhas, cinzentas claras ou pretas
- Vivem até dois anos.
- Chegam a depositar ovos seis vezes por ano, até 30 ovos de cada vez.
- Nas condições certas, os ovos eclodem em poucas semanas, mas podem hibernar até que a umidade seja suficiente.
- Alimentam-se à noite, e para se protegerem do sol e de possíveis predadores, escondem-se durante o dia.
- Normalmente escondem-se debaixo de folhas, tábuas, buracos no chão, etc.

 

 

Veja Também